segunda-feira, 2 de março de 2015

Barriga é barriga, BY Arnaldo Jabour

Arnaldo Jabour 



Barriga é barriga, peito é peito e tudo mais. Confesso que tive agradável surpresa ao ver Chico Anísio no programa do Jô, dizendo que o exercício físico é o primeiro passo para a morte. Depois de chamar a atenção para o fato de que raramente se conhece um atleta que tenha chegado aos 80 anos e citar personalidades longevas que nunca fizeram ginástica ou exercício - entre elas o jurista e jornalista Barbosa Lima Sobrinho - mas chegou à idade centenária, o humorista arrematou com um exemplo da fauna:

A tartaruga com toda aquela lerdeza, vive 300 anos. Você conhece algum coelho que tenha vivido 15 anos?

Gostaria de contribuir com outro exemplo, o de Dorival Caymmi. O letrista compositor e intérprete baiano era conhecido como pai da preguiça. Passava 4/5 do dia deitado numa rede, bebendo, fumando e mastigando. Autêntico marcha-lenta, levava 10 segundos para percorrer um espaço de três metros. Pois mesmo assim e sem jamais ter feito exercício físico viveu 90 anos.

Conclusão: Esteira, caminhada, aeróbica, musculação, academia? Sai dessa enquanto você ainda tem saúde...


E viva o sedentarismo ocioso!!! Não fique chateado se você passar a vida inteira gordo. Você terá toda a eternidade para ser só osso!!!
Então: NÃO FAÇA MAIS DIETA!! Afinal, a baleia bebe só água, só come peixe, faz natação o dia inteiro, e é GORDA!!! O elefante só come verduras e é GORDOOOOOOOOO!!!

VIVA A BATATA FRITA E O CHOPP!!!
Você, menina bonita, tem pneus? Lógico, todo avião tem!
E nunca se esqueçam:
'Se caminhar fosse saudável, o carteiro seria imortal.´

E lembrem-se sempre:
Celulite quer dizer :
EU SOU GOSTOSA! Em braile!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

PESSOAS GORDAS NÃO GOSTAM APENAS DE COMER ! ! !


A impressão que tenho, é que todos acham que pessoas obesas só pensam em comida.
É sim uma boa verdade o fato de que os momentos das refeições são extremamente prazeirosos, desde a escolha do prato principal até a última colherada da sobremesa, menos pensar na louça.
Mas quem disse que não gostamos de outras coisas? Claro que de estômago cheio... RS RS RS
Dizendo por mim:
Amo música, e cantar principalmente, nossa como faz bem para a alma e o coração;
Filmes, sozinha, acompanhada pelo maridão, no cinema, em casa... ;
Teatro... Quem nunca saiu com dor na barriga de tanto rir ao ver uma boa comédia? ;
Parques, caminhar prestigiando a beleza da natureza, e é claro que pausas na sombra;
Passeios históricos, nossa como adoro saber as coisas do passado;
Simplesmente brincar com a sobrinha, se sentir criança novamente e ser a melhor amiguinha dela;
Visitar parentes queridos, amigos(as) especiais e simplesmente falar bobagens, matar a saudades;
Rir, como é bom... é um xarope milagroso, deixa qualquer pessoa linda!!!
Animais, AHHH essa parte quem me conhece eu não precisaria nem citar... Seres mais que especiais, são minha paixão. Defendê-los e poder ajudá-los dentro dos meus limites me dá um prazer imensurável.
E não esqueçam, gordinhos(as) também namoram, e muito...
Enfim, adoro escrever, criar, inovar, conversar, minha luta é mais  com a preguiça... um dia acabo com ela, porém bom humor não me falta... PORTANTO posso ser gorda, mas também posso ser feliz!!!


Tia Lika



Obs.: Foto by Edull

DESABAFO DE UMA OBESA COM DEPRESSÃO



sexta-feira, 8 de março de 2013

Feliz Dia Internacional da Mulher!




O Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada da Rússia czarista na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Entretanto a ideia de celebrar um dia da mulher já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto.
No Ocidente, o Dia Internacional da Mulher foi comemorado no início do século, até a década de 1920.
Na antiga União Soviética, durante o stalinismo, o Dia Internacional da Mulher tornou-se elemento de propaganda partidária.
Nos países ocidentais, a data foi esquecida por longo tempo e somente recuperada pelo movimento feminista, já na década de 1960. Na atualidade, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter festivo e comercial. Nessa data, os empregadores, sem certamente pretender evocar o espírito das operárias grevistas do 8 de março de 1917, costumam distribuir rosas vermelhas ou pequenos mimos entre suas empregadas.
Em 1975, foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher e, em dezembro de 1977, o Dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres.[1]
A ideia da existência de um dia internacional da mulher surge na virada do século XX, no contexto da Segunda Revolução Industrial e da Primeira Guerra Mundial, quando ocorre a incorporação da mão-de-obra feminina, em massa, na indústria. As condições de trabalho, frequentemente insalubres e perigosas, eram motivo de frequentes protestos por parte dos trabalhadores. Muitas manifestações ocorreram nos anos seguintes, em várias partes do mundo, destacando-se Nova Iorque, Berlim, Viena (1911) e São Petersburgo (1913).
O primeiro Dia Internacional da Mulher foi celebrado em 28 de fevereiro de 1909 nos Estados Unidos, por iniciativa do Partido Socialista da América[2], em memória do protesto contra as más condições de trabalho das operárias da indústria do vestuário de Nova York[carece de fontes].
Em 1910, ocorreu a primeira conferência internacional de mulheres, em Copenhaga, dirigida pela Internacional Socialista, quando foi aprovada proposta da socialista alemã Clara Zetkin, de instituição de um dia internacional da Mulher, embora nenhuma data tivesse sido especificada.

Membros da Women's International League for Peace and Freedom, em Washington, D.C., 1922.
No ano seguinte, o Dia Internacional da Mulher foi celebrado a 19 de março, por mais de um milhão de pessoas, na Áustria, Dinamarca, Alemanha e Suíça.
Poucos dias depois, a 25 de março de 1911, um incêndio na fábrica da Triangle Shirtwaist mataria 146 trabalhadores - a maioria costureiras. O número elevado de mortes foi atribuído às más condições de segurança do edifício. Este foi considerado como o pior incêndio da história de Nova Iorque, até 11 de setembro de 2001. Para Eva Blay, é provável que a morte das trabalhadoras da Triangle se tenha incorporado ao imaginário coletivo, de modo que esse episódio é, com frequência, erroneamente considerado como a origem do Dia Internacional da Mulher.[5]
Em 1915, Alexandra Kollontai organizou uma reunião em Christiania (atual Oslo), contra a guerra. Nesse mesmo ano, Clara Zetkin faz uma conferência sobre a mulher.
Na Rússia, as comemorações do Dia Internacional da Mulher foram o estopim da Revolução russa de 1917. Em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro pelo calendário juliano), a greve das operárias da indústria têxtil contra a fome, contra o czar Nicolau II e contra a participação do país na Primeira Guerra Mundial precipitou os acontecimentos que resultaram na Revolução de Fevereiro. Leon Trotsky assim registrou o evento: “Em 23 de fevereiro (8 de março no calendário gregoriano) estavam planejadas ações revolucionárias. Pela manhã, a despeito das diretivas, as operárias têxteis deixaram o trabalho de várias fábricas e enviaram delegadas para solicitarem sustentação da greve. Todas saíram às ruas e a greve foi de massas. Mas não imaginávamos que este ‘dia das mulheres’ viria a inaugurar a revolução”.[6]
http://bits.wikimedia.org/static-1.21wmf10/skins/common/images/magnify-clip.png
Berlim Oriental, Unter den Linden, (1951). Retratos de líderes da Internationalen Demokratischen Frauen-Föderation (IDFF), na 41°edição do Dia Internacional da Mulher.
Após a Revolução de Outubro, a feminista bolchevique Alexandra Kollontai persuadiu Lenin para torná-lo um dia oficial que, durante o período soviético, permaneceu como celebração da "heróica mulher trabalhadora". No entanto, o feriado rapidamente perderia a vertente política e tornar-se-ia uma ocasião em que os homens manifestavam simpatia ou amor pelas mulheres - uma mistura das festas ocidentais do Dia das Mães e do Dia dos Namorados, com ofertas de prendas e flores, pelos homens às mulheres. O dia permanece como feriado oficial na Rússia, bem como na Bielorrússia, Macedónia, Moldávia e Ucrânia.
Na Tchecoslováquia, quando o país integrava o Bloco Soviético (1948 - 1989), a celebração era apoiada pelo Partido Comunista. O MDŽ (Mezinárodní den žen, "Dia Internacional da Mulher" em checo) era então usado como instrumento de propaganda do partido, visando convencer as mulheres de que considerava as necessidades femininas ao formular políticas sociais. A celebração ritualística do partido no Dia Internacional da Mulher tornou-se estereotipada. A cada dia 8 de março, as mulheres ganhavam uma flor ou um presentinho do chefe. A data foi gradualmente ganhando um caráter de paródia e acabou sendo ridicularizada até mesmo no cinema e na televisão. Assim, o propósito original da celebração perdeu-se completamente. Após o colapso da União Soviética, o MDŽ foi rapidamente abandonado como mais um símbolo do antigo regime.
No Ocidente, o Dia Internacional da Mulher foi comemorado durante as décadas de 1910 e 1920. Posteriormente, a data caiu no esquecimento e só foi recuperada pelo movimento feminista, já na década de 1960, sendo, afinal, adotado pelas Nações Unidas, em 1977.


Mulher...

Que traz beleza e luz aos dias mais difíceis
Que divide sua alma em duas
Para carregar tamanha sensibilidade e força
Que ganha
o mundo com sua coragem
Que traz paixão no olhar
Mulher,
Que luta pelos seus ideais,
Que dá a vida pela sua
família
Mulher
Que ama incondicionalmente
Que se arruma, se perfuma
Que vence o cansaço
Mulher,
Que chora e que ri
Mulher que sonha...

Tantas Mulheres, belezas únicas, vivas,
Cheias de mistérios e encanto!
Mulheres que deveriam ser lembradas,
amadas, admiradas todos os dias...

Para você, Mulher tão especial...

Feliz Dia Internacional da Mulher!


quarta-feira, 6 de março de 2013

2º Feira Mística Brasil





A 2º Feira Mística Brasil será realizada no Club Homs- ( av PAULISTA ) em São Paulo, entre os dias 09, 10 de Março . O evento irá reunir mais de 120 expositores.
Com Oráculos, Tarot, Cartomância, Runas e Baralho Ciganos,Leitura de borra de cafè, Oraculos das Conchas, Buzios. Ingressos R$ 5,00

Além disso o público terá acesso a praça de alimentação com comidas típicas

Expositores com artigos esotéricos e artesanato dos mais variados tipos; são mandalas, bijoterias, pedras brasileiras, roupas, bolsas e acessórios, decorações e muito mais .

Um diferencial da Feira Mística Brasil é o de valorizar as tradições culturais, resgatar as mais diversas culturas místicas como a dança, a música e a arte de Indianos, Ciganos, Celtas, Umbanda, Candomblé e outros .

Apresentações que levarão ao público uma dimensão de como, além de todo misticismo envolvido entre os povos, quais suas relações com as festividades, arte e cultura e como esse comportamento está profundamente ligado a suas crenças.

Os místicos mais importantes do pais estarão a disposição para leituras a custo populares, além da apresentação de grupos de dança e música relacionadas a culturas místicas, como as famosas danças e músicas ciganas. Estarão presentes oráculos como que faz leituras através da borra do café, uma tradição nos países árabes, que consiste em fazer a previsão do futuro através da leitura da borra de café que aparece na parede e fundo de uma xícara, depois de bebê-lo. A cartomância, a leitura através das cartas e as cigana que realiza a previsão do futuro através do tradicional baralho cigano e a famosa leitura das mãos.

Nesta 2º edição da feira, além dos eventos aconteceram Palestras . danças e muitas outras novidades.

2º Feira Mística Brasil

Local:Club Homs -

Av. PAULISTA , 735 - CERQUEIRA CESAR -SP

Dias 9 e 10 de Março .

Das 09 as 21 horas